• Una vida más larga está marcada por constantes cambios, implica mayor flexibilidad y capacidad de adaptación, así como grandes transformaciones, requiere tomar decisiones importantes, alternar entre múltiples etapas, redimensionar el uso del tiempo y reestructurar los ciclos vitales. La falta de parámetros y referencias previas agrega una capa de complejidad adicional a la hora de proyectar de forma realista y tangible el impacto que la longevidad tiene sobre la vida de cada uno de nosotros La mayor parte de las decisiones están en nuestras manos, no debemos creer que otros pensarán por nosotros, sino que debemos ser conscientes de que las decisiones que tomemos hoy conformarán nuestro yo futuro. En este nuevo escenario es más necesario que nunca conocer a fondo los pilares sobre los que se asienta una larga vida: la salud, el patrimonio y las relaciones. “Una longevidad con sentido” recoge con rigor un análisis pormenorizado de ellos para que podamos desarrollar los recursos y herramientas que nos ayuden a tener una vida plena y con sentido.
  • Antonio Huertas-Chairman and CEO of MAPFRE Iñaki Ortega- Director of Deusto Business School How the positive effects of increased longevity can drive economic growth More diapers for adults are sold worldwide than for babies. By 2050, there will be 420 million octogenarians living on planet Earth. Americans over 55 contributed 3.3 billion volunteer hours in 2016 – the equivalent of 78 billion dollars. So what’s going on? In 1890, life expectancy in the United States was just 40 years of age. Today, there is no country in the world, no matter how poor, where it isn’t longer. Global life expectancy is now above 72 years, and in 30 countries in America, Oceania, Asia and Europe, the average is higher than 80. Medical advances and improved diets have given us an extra 15 years of life, and the silver generation is making the most of this time. They are working longer, creating new businesses to supplement their income and spending more on health and leisure pursuits. They are giving more too, volunteering with organizations and causes they identify with. They are redrawing the boundaries between working age and retirement, making the most of opportunities nobody thought existed.  
  • Antonio Huertas-Presidente e CEO de MAPFRE Iñaki Ortega- Diretor de Deusto Business School Mais fraldas são vendidas para adultos do que para bebês no mundo. Em 2050, serão 420 milhões de octogenários vivendo no planeta Terra. Estima-se que, em duas décadas, o Brasil triplique a população de maiores de 65 anos no país. Nesse mesmo ano, o Brasil será o quarto país do mundo com mais idosos. Então o que está acontecendo? Em 1930, a expectativa de vida no Brasil era de apenas 37 anos de idade. Hoje, não há nenhum país no mundo, não importa o quão pobre seja, que não tenha uma expectativa maior. A expectativa de vida mundial está agora acima dos 72 anos, e em 30 países na América, Oceania, Ásia e Europa, a média está acima dos 80. Avanços na medicina e dietas melhores nos deram 15 anos extra de vida, e a geração prateada está fazendo o melhor que pode com ese tempo. Eles estão trabalhando mais tempo, criando novos negócios para complementar sua renda e gastando mais com a busca por saúde e lazer. Eles também estão doando mais, se voluntariando com organizações e causas pelas quais se identifi cam. Eles estão redesenhando as fronteiras entre a idade de trabalho e a aposentadoria, fazendo o máximo com oportunidades que ninguém pensava que existiam.

Ir a Arriba